domingo, 3 de maio de 2015

Os primeiros reservatórios de água de Aracoiaba.


Açude Padre Pedro - Bairro São José
Foto de Joseni - Blog do Parceiro. 

Por Artur Ricardo.

Os primeiros reservatórios construídos em Aracoiaba na Região do Maciço de Baturité, remontam o fim do século XIX.
Devido as grandes estiagem na Região Nordeste, principalmente no Ceará, o Imperador D. Pedro II, despachou obras que pudessem ajudar milhares de pessoas que sofria as mazelas da seca. Com isso, autorizou um pedido de construção de um açude na cidade de Aracoiaba. 
Na época o Presidente da Província do Ceará Carlos Honório Benedito Ottoni e o Vice Presidente Antonio Pinto Nogueira Accioly, a pedido de D. Pedro II, autorizou um estudo que pudesse combater os efeitos das secas, com frentes de trabalhos para homens que sofriam os flagelos da seca. Os trabalhos foram coordenados pelo engenheiro Ernesto Antonio Lassence Cunha e outros técnicos. A conclusão dos estudos resultaram na construção nos leitos de rios e riachos de dois açudes em Aracoiaba. 


Açude Padre Pedro - Bairro São José
Foto de Joseni - Blog do Parceiro.

O primeiro foi construído em 1885 e recebeu o nome de "Açude Padre Pedro da Mota e Souza" - (homenagem ao primeiro Pároco de Aracoiaba), localizado no antigo matadouro, que posteriormente passou a ser chamado de Bairro São José.
Suas dimensões eram grandes pra época, 150 metros de comprimentos, por 6 metros de altura, com tempo máximo de duração de suas águas de oito meses e com áreas alagadas de 600 x 150 metros. 



Açude Padre Pedro - Bairro São José
Foto de Joseni - Blog do Parceiro.

Três anos depois foi construído o segundo por ocasião da seca de 1888, sendo concluído os trabalhos somente em 1889, esse localizado no Bairro de Bolandeira (Bulandeira), atual Osvino de Freitas Pereira. O açude ficou conhecido popularmente de "Açude do Governo". 
A mão de obra utilizada na construção dos dois açudes fora de homens que recebiam recursos advindos de Fundos de Socorro Público, que tinha como objetivo ajudar famílias no combate aos efeitos da seca.  
A extensão da barragem é de 200 metros de comprimentos, ´por 8 metros de altura, com tempo de duração  máxima de suas águas de doze meses e com áreas alagadas de 800 x 200 metros. 
Pelos dados levantados na pesquisa, o segundo açude foi construído com dimensões maiores que o primeiro. Mas segundo relatos de moradores o primeiro nunca secou, enquanto o segundo tem sofrido com longas estiagens. 
Em 20 de julho de 1903, a Câmara Municipal de Aracoiaba em reunião, solicitou providências na conservação e manutenção do "Açude do Governo", ao Presidente do Estado do Ceará, o Dr. Pedro Augusto Borges.

"(...) afundar o porão do açude, botar um pé na parede e mais alguns reparos no sangramento; (...) o que esta Câmara ainda não fez por não ter fundos suficientemente para isto, pois o cálculo que  fizemos é de quatro a cinco contos, que se pode gastar no começo do dito açude para ficar perfeitamente sólido e com mais curso para as águas"  (Ata da Sessão de 20 de julho de 1903 na Câmara Municipal de Aracoiaba).

Nessa mesma reunião, consta em Ata, referências de mais três locais de novos reservatórios para a cidade. 

"(...) uma bacia de grande referencia (...) o local é o melhor possível para se construir um açude (...) onde o comprimentos da parede é de cinquenta braças e a altura da parede poderá ficar com seis braças e a largura com duas braças (...) cujo  local referido é no Riacho do Padre, que dista desta Villa légua e meia (...).
Tem mais uma lagoa no lugar denominado Jucá, com mais ou menos um quilometros de bacia e quatro de circunferência (...) que essa lagoa poderá armazenar água até para três anos de seca (...).
Existe outras lagoa maior no lugar São João deste município que fazendo-se uma parede de duzentos metros ficará um reservatório muito suficiente (...)"  (Ata da Sessão de 20 de julho de 1903 na Câmara Municipal de Aracoiaba).


Foto de Joseni - Blog do Parceiro.


Fonte: Texto consultado - MATOS, Rose Mary Santana. Aracoiaba, história em retalhos. Vol. II.  Fortaleza-Ceará. Ed. Premius. 2012. pp. 169-171.
Site da Secretaria dos Recursos Hídricos do Estado do Ceará. 
Acervo on-line do Arquivo Público do Ceará - caixas das obras Públicas (século XIX).
Fotos do Blog do Parceiro (Joseni de Lima).
Postar um comentário

HISTÓRIA DE PACOTI - CEARÁ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...