quinta-feira, 29 de novembro de 2012

HISTÓRIA DE BATURITÉ ATRAVÉS DE FOTOS ANTIGAS

 Pintura da Avenida Proença - Atual Dr. João Paulino - Baturité/Ceará.


 Procissão Religiosa passando pela avenida Proença - Atual Dr. João Paulino - Baturité/Ceará.
 Avenida 7 de Setembro - Baturité/Ceará.
Local em frente a Escola Salesiano. Alunos da Escola Salesiano desfilando - Baturité/Ceará.

Praça Waldemar Falcão - Baturité/Ceará.

Projeto da Escola Apostólica de Baturité/Ceará.
Para o arrojado projeto da Escola Apostólica, o Padre Antônio de Oliveira Pinto contratou um renomado engenheiro de São Paulo que projetou sua construção numa área de terra de 110 metros de frente por 78 de fundos

Local onde seria construído a Escola Apostólicas do Jesuítas - Baturité/Ceará
Em fevereiro de 1922,os jesuítas decidiram abrir aqui uma escola apostólica, ou seja um seminário menor, para formação dos seus padres e irmãos. A família do Comendador ANANIAS ARRUDA, foi quem doou uma parte do Sitio Olho D’Agua ao Padre. Antônio de Oliveira Pinto, não só para realizar a construção, e sim para que os jesuítas pudessem tirar do cultivo da terra, o sustento dos seus, oriundos de famílias pobres do interior do Ceará, do Pernambuco e do Piauí. A construção levou mais de 10 anos.

Construção da Escola Apostólica dos Jesuítas - Baturité/Ceará.
Os Jesuítas chegaram à Baturité graças à Ananias Arruda. Na noite do dia 13 de abril de 1921, no Palácio Episcopal de Fortaleza, meu tio Ananias em um encontro casual com o padre Jesuíta, Antonio de Oliveira Pinto, provincial da Companhia de Jesus no norte do Brasil, tomou conhecimento da intenção da Congregação de construir uma Escola Apostólica no Nordest
e. O Padre Pinto encontrava-se em Fortaleza em trânsito para a cidade de Brejo das Bananeiras, no Estado da Paraíba, onde iria vistoriar um terreno destinado a referida construção. Logo, meu tio o persuadiu a ir à Baturité e juntos visitarem o “Sítio Olho D’água”, local indicado por ele, para a construção da Escola. O Padre Pinto não cogitava construí-la no Ceará por causa das secas periódicas, mas, mesmo assim, aceitou o convite.


Ofereceu meu tio, além do “Sítio Olho D’água” que seria comprado, por seu intermédio, a preço módico, pela Arquidiocese de Fortaleza, de seu proprietário Cel. Joaquim de Alencar Matos e doado aos Jesuítas, outras facilidades como: toda a cal que seria usada na construção.

O Padre Pinto voltou a Bahia sem nada decidir, mas logo mandou um telegrama com os seguintes dizeres: Aceito “Olho D’água”. Padre Pinto. Passados alguns dias recebeu meu tio uma procuração para assinar a escritura da doação do sítio e uma carta pedindo para assumir a construção da Escola.

No dia 15 de abril de 1922, foi concluída uma ponte sobre o leito do rio Aracoiaba para facilitar o transporte do material de construção. Em maio do mesmo ano, tio Ananias comprou dois sítios anexos ao Olho D’água: o “Jordão Mendes” e o “Caridade” no alto da serra onde seria construída a “Casa de Retiros Fechados São José”. ( Por Ana Margarida Arruda)



 Escola Apostólica dos Jesuítas - Baturité/Ceará.
No dia 3 de dezembro do mesmo ano, foi benta a Pedra Fundamental por Dom Manuel da Silva Gomes, Arcebispo de Fortaleza na presença do Ministro da Viação, do Presidente do Estado, do Representante da Inspetoria de Secas, do representante da Rede de Viação Cearense, de jornalistas, religiosos e grande massa popular.


A comitiva do Sr. Arcebispo foi recebida pel
o Coronel Ananias Arruda, Padre Antonio de Oliveira Pinto, Monsenhor Manoel Cândido dos Santos e Dr. Abner Vasconcelos, juiz de direito de Baturité.

A Pedra Fundamental, benta solenemente pelo Arcebispo, foi retirada das ruínas da antiga Igreja dos Jesuítas, na cidade de Aquiraz, no Ceará, demolida quando da expulsão dos jesuítas, no ano de 1748. Em uma cavidade preparada para abrigar a referida pedra foram colocadas, também, várias moedas em circulação, um exemplar do jornal “A Verdade”, e um precioso pergaminho no qual o Dr. Andrade Furtado, redator chefe do jornal “O Nordeste” lavrou uma ata histórica da cerimônia que foi assinada pelo Arcebispo, sua comitiva e muitos dos presentes.
Quando do fechamento da cavidade com a pedra, o mestre Abel Maia redigiu o seguinte: Pedra, Ruínas, Igreja Aquiraz P.P. Jesuítas 1748, primeira pedra E. Apostólica P.P. Jesuítas de Baturité, 3-XII-1922.
( por Ana Margarida Arruda )

FONTE DE PESQUISA: Mosteiros dos Jesuítas - https://www.facebook.com/mosteirodosjesuitas.
FOTOS: Arquivo Pessoal e Mosteiros dos Jesuítas.
PESQUISA ELABORADA POR: João Artur - Historiador.
Postar um comentário

HISTÓRIA DE PACOTI - CEARÁ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...