sexta-feira, 24 de abril de 2015

A História da CNEC em Aracoiaba.

Por Artur Ricardo.

Foto de Artur Ricardo.


Conhecendo o Modelo CNEC de ensino.

A partir da década de 1950, houve uma expansão da Companha Nacional das Escolas da Comunidade - CNEC, em todo do território brasileiro. 
O Objetivo primeiro das CNEC era superar os problemas sociais causados pelo atraso econômico e sociocultural existente em diversos lugares do Brasil.
A CNEC teve uma presença significante na educação brasileira, atuando principalmente na educação infantil ao ensino superior, em todos os Estados da Federação em parceria como o Poder Público.
Para a instalação de uma CNEC numa determinada cidade ou localidade, dependia muito de lideranças políticas locais, pois um dos pré-requisitos para a sua instalação era justamente ter apoio garantido para manutenção dos educandários por ser totalmente "gratuitos" para a população.
As CNEC's representavam uma opção de escola ginasial e secundário de baixo custo para o Poder público, pois a própria comunidade contribuía para a manutenção do educandário, através de doações. Os custos eram divididos entre a comunidade local e governos federal, estadual e municipal. Esse modelo foi fundamental na base e fortalecimento do setor privado no campo do ensino brasileiro.
Segundo o regime interno da instituição, os educandários ofereciam o ensino ginasial "gratuito", destinado aos alunos de ambos os sexos, com finalidade de atender as classes menos favorecidas. Funcionava preferencialmente no turno noturno,mas dependia de cada realidade local.   
As direções locais das CNEC's precisava arranjar sócios para apadrinhar estudantes e assim melhorar cada vez mais as condições do educandário e do ensino.

A CNEC em Aracoiaba.


Foto de Lusmar Paz.


Companha Nacional das Escolas da Comunidade - CNEC foi fundada em 3 de agosto de 1968, tendo como primeira diretoria do setor local o senhor Nilo Alves de Oliveira e pelos membros: Manoel Silvestre, Francisco Augusto de Oliveira (pai do Dr. Élson Paiva que seria o primeiro diretor da CNEC em Aracoiaba), Antonio de Oliveira e a professora Iraci Costa.
Em entrevista realizada para a elaboração do segundo volume do Livro: "Aracoiaba, História em Retalhos", publicado em 2012, a senhora Pedrina Costa Correia, uma das primeiras professores de Aracoiaba e a escritora e poetisa Rosira Alexandre, foram unanimas em afirmar que dona Pedrina foi muito importante na mediação entre a central da CNEC de Fortaleza e o Dr. Élson Paiva. De acordo com as mesmas foi preciso muita conversa até convencer o Dr. Élson, aceitar a direção daquele educandário, onde já havia conflitos e interesses de políticos e autoridades de Aracoiaba na época. 
O primeiro corpo docente foi organizado pela professora Pedrina, entre os primeiros educadores estão: Zélia Paiva (irmã de Dr. Élson Paiva), Terezinha Oliveira, Maria Nelsa Rocha e o próprio Dr. Élson Paiva.
Os alunos da primeira turma tiveram que passar por uma prova seletiva, realizada na cidade vizinha de Baturité. No início as primeiras aulas foram ministradas no prédio do antigo Posto de Puericultura* esse prédio era alugado e seu proprietário o Coronel Cesar Guedes Alcoforado e que anos depois foi comprado, tornando-se definitivamente a sede da CNEC em Aracoiaba, ficando ao lado da Praça 16 de agosto.
Dr. Élson Paiva foi o grande responsável na extensão do projeto CNEC nos Distritos de Aracoiaba, como: Ideal, Jaguarão, Jenipapeiro e Pedra Branca.  
Segundo o historiador Jorge Luiz, um ex-aluno e pesquisador do assunto; no início da década de 1970, a CNEC implantou o 2º grau com os cursos de Administração e Contabilidade, para complementar o saber e a vida profissional dos jovens estudantes. 
Os educandários ultrapassava o campo educacional e também se destacou em diversos eventos sociais, culturais e esportivos. Os seus alunos procuravam participar juntamente com toda a sociedade aracoiabense, de todas as datas e eventos comemorativas que houvesse.
Um desses eventos que ganhou destaque foi o carnaval de 1974, organizado pela primeira Dama do município a senhora Maria Amélia Feitosa, conhecida por Dona Nicinha, esposa do então prefeito na época Dr; Gerardo Alves de Melo. A mesma organizou o carnaval na CNEC, com blocos carnavalescos conhecidos de "Canecão" e "Ossos do Barão" esse último sob responsabilidade da família "Oliveira Lopes". Na ocasião foi escolhido o Sr. José Leite da Silva (Zé da Lira) como o " Rei do Carnaval" e a Senhora Maria Cacilda Florêncio como "Rainha". Esses blocos com Rei e Rainha desfilaram pelas ruas de Aracoiaba, Pelas pesquisas mais recentes podemos concluir que essa tenha sido a primeira manifestação carnavalesca em Aracoiaba. 
Os desfiles para escolha da mais bela cenecista era outro evento que movimentava a CNEC de Aracoiaba. Dentes as mais belas cenecistas estão: Vilani Silveira, Lúcia Firmino, Celma Nascimento, Sandra Helena e Karlana Prado, sendo vencedoras da categoria municipal e regional. quem também ganhou destaque na época foi a jovem Rita Ferreira (atual Diretora da escola Estadual Profissional Salomão Alves de Moura) como vencedora da mais bela cenecista do Ceará.
A CNEC de Aracoiaba sempre se destacou no esporte, principalmente nos jogos cenecistas realizados a nível regional, estadual e nacional. Os estudante de Aracoiaba chegaram a ser campeões cearense de futebol de salão e foram representar o Estado do Ceará a nível de Nordeste no Piauí e a nível Nacional no Rio de Janeiro, na década de 1980.
Os desfiles cívicos de 7 de Setembro em Aracoiaba era ao som inconfundível da "Banda Marcial da CNEC", onde a batida e o ritmo até hoje ressoa na memória de muitas pessoas que vivenciaram esse tempo. Era desejo de muitos jovens da época fazer parte dessa banda, muitos diziam: "quero bater na banda da CNEC".
Alguns movimentos estudantis surgiram na década 1980, um deles o famoso " Centro Cívico", podemos dizer que foi um movimento onde a juventude cenecista juntamente com a sociedade aracoiabense realizavam festas, passeios e outros eventos como forma de movimentar a cidade. As maiores festas realizadas pelo Centro Cívico foram festas com Eliane, na época considerada a rainha do forró; Beto Barbosa (o rei da lambada), no auge da Lambada que virou febre no Brasil; Gretcher, a rainha do bumbum brasileiro, que na década de 1980 era considerada um símbolo sexual no país. Sem contar com os bailes de formaturas e as famosas tertúlias (festas somente com som) todos os sábados à noite, após a Santa Missa, na quadra da CNEC com os sons alugados do Tidi Som, América Som e Palito Som. 
No Inicio da década de 1990. Dr. Élson adoeceu e ficou impossibilitado de continuar na direção, sendo substituído pelo professor Isaías Braz de Almeida, permanecendo por pouco tempo. Anos depois a CNEC fechou e o prédio foi vendido para a Prefeitura Municipal de Aracoiaba. 
Em Janeiro de 2002, a Secretária de Educação do Município instalou a Escola Municipal Coronel Pedro Guedes Alcoforado, em homenagem ao antigo dono. Em 2015 a escola funciona normalmente com turmas do ensino fundamental e sua espaçosa quadra serve de espaço para diversos eventos. 

(Posto que bem-estar e saúde das crianças no seu nascimento e nos primeiros dias de vida http://www.significados.com.br/puericultura/ 





Fotos de Artur Ricardo.

Referências

Texto Sobre a História da CNEC, de Jorge Luiz - No livro: Aracoiaba, História em Retalhos. Vol. II.  Fortaleza-Ceará. Ed. Premius. 2012.
MATOS, Rose Mary Santana. Aracoiaba, História em Retalhos. Vol. II.  Fortaleza-Ceará. Ed. Premius. 2012.
Dicionário de Significados.
Site oficial da Companha Nacional das Escolas da Comunidade - CNEC.


Postar um comentário

HISTÓRIA DE PACOTI - CEARÁ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...